segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Pequeno explorador



O mini-moi fez ontem um mês. O meu pequeno explorador gosta de ficar a olhar o mundo de olhos muito abertos como se quisesse engoli-lo de uma só vez. Luzes, cores, vozes, sons, música, rostos, movimento. Tento imaginar o que ele sente. Para quem viveu 9 meses no escuro, apertado, sem fome, sem frio, sem calor e em permanentemente contacto com a sua mamã, o mundo é GIGANTE. Infinito. Daí que seja tão difícil, por vezes, adormecer. Desligar. Como nós na véspera de uma viagem ou de um acontecimento pelo qual ansiamos há muito tempo. Eu sou assim.
O meu filho faz-me lembrar a história do filme A Lenda de 1900. 1900 nasceu, cresceu e viveu num grande barco, sem nunca ser capaz de viver em terra. Para ele, o mundo era grande demais. Oferecia infinitas possibilidades. Um sem fim de oportunidades. Era demais para ele. Também para o meu filho, o mundo apesar de fascinante, é ainda grande demais. É tanta a informação que tem de processar que tem de desligar e fazer reboot. Para isso serve uma mamã. 3, 2, 1... Pufff... Adormeceu. Para o trazer de volta ao aconchego do seu pequenino mundo.



"Take a piano. The keys begin, the keys end. You know there are 88 of them and no-one can tell you differently. They are not infinite, you are infinite. And on those 88 keys the music that you can make is infinite. I like that. That I can live by. But you get me up on that gangway and roll out a keyboard with millions of keys, and that's the truth, there's no end to them, that keyboard is infinite. But if that keyboard is infinite there's no music you can play. You're sitting on the wrong bench. That's God's piano. Christ, did you see the streets? There were thousands of them! How do you choose just one? One woman, one house, one piece of land to call your own, one landscape to look at, one way to die. All that world weighing down on you without you knowing where it ends. Aren't you scared of just breaking apart just thinking about it, the enormity of living in it? I was born on this ship. The world passed me by, but two thousand people at a time. And there were wishes here, but never more than could fit on a ship, between prow and stern. You played out your happiness on a piano that was not infinite. I learned to live that way. Land is a ship too big for me. It's a woman too beautiful. It's a voyage too long. Perfume too strong. It's music I don't know how to make. I can't get off this ship."
Giuseppe Tornatore


P.S. Ou um papá e uma chucha!

3 comentários:

  1. Parabéns!! já o espreitei ao colo da Djibicou e achei-o comestível de tão fofo! coisas mais lindas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Qualquer dia já é capaz de pegar só com uma mão! Só ainda não a convenci a mudar as fraldas ;)!
      ella

      Eliminar
    2. Badochinha! Já te expliquei que as tias são só para as coisas boas;)

      Eliminar