segunda-feira, 10 de junho de 2013

Guardar memórias


Foto daqui!

Algo que anda na moda há algum tempo são as sessões fotográficas. Despedidas de solteiro. Baptizados. Casamentos. Recém-nascidos. Crianças. Famílias. Pré-mamã. Até viagens. Enfim, de tudo o que se possa imaginar. Este é o tipo de coisa que não funciona para mim que gosto de fotografias espontâneas, de cristalizar momentos únicos, naturais, íntimos e que me façam lembrar quem nelas se encontra exactamente como era. A minha foto preferida, não será a melhor foto do mundo mas é a minha foto preferida... É a foto em que a minha mãe está encostada ao meu avô, a rirem entre conversas e sem terem a mínima ideia que eu os estava a fotografar. Gosto de os recordar assim, a rir, gosto de recordar o calor daquele fim de tarde de inverno cheio de sol.
Também percebo que para quem não tem o mínimo jeito para tirar fotos, não seja fácil fugir ao lugar comum e que queiram ter fotos bonitas para recordar. Quando eu era pequena, e as máquinas digitais estavam longe do horizonte, todos os Natais eu e os meus cinco primos íamos com a minha avó até ao fotógrafo tirar a nossa foto de grupo. Durante um ano essa fotografia empurrava a do ano anterior para o fundo da estante e a minha avô enviava às amigas orgulhosa dos seus pequenos índios. A minha avó não sabia tirar fotografias mas queria preservar com ela a memória de nos ver crescer.
Agora, o que eu não percebo são os clichés. Aqui há algum tempo a minha boa amiga Menina dos lápis-de-cor chamou-me à atenção para as piroseiras que por aí andam. A maior parte das sessões que tenho visto são de um péssimo gosto, lugares comuns, cópias umas das outras onde apenas mudam os intervenientes. Acho que quem as faz não são fotógrafos, são pessoas com uma boa máquina e que não se preocupam em conhecer as pessoas para quem estão a trabalhar. Casais deitados no meio da relva em cima de um tapete felpudo ou que espreitam entre árvores. Crianças nuas em cima desses mesmos tapetes felpudos. (Não consigo perceber a obsessão pelos tapetes felpudos, pelos vistos são um must!) Casais nus ou semi-nus que abraçam uma barriga de 9 meses. E os resultados são... Enfim... Sem comentários. Claro que, também é uma questão de gosto pessoal. Eu estou grávida e nunca quis tirar fotos nua, não será porque estou grávida que o irei fazer por muito que queira recordar este momento. Mas bom... Isto é uma questão pessoal.
Obviamente também há fotógrafos a fazer um bom trabalho. Um exemplo disso é a fotografa de um blog que sigo assiduamente... O Pink SugarLand. Assim, percebo. As fotos são boas. A luz é fantástica. E mesmo os lugares comuns têm algo de pessoal. Tal como se quer.

Sem comentários:

Enviar um comentário