domingo, 27 de janeiro de 2008

Post-Scriptum

Photo by J

Quando entraste na minha vida deste-me o sol.
E quando um dia decidi seguir sózinho, abriste-me a porta. Enquanto caminhava percebi que sem a tua luz vivo na solidão da noite. Perdi-me. Inevitavelmente. Perdi-nos.
Os anos passaram e se te escrevi esta carta com tamanha clareza foi porque hoje compreeedo que há coisas que não se devem guardar. Há coisas que devem ser ditas aqui neste mundo.
Não pareço eu, eu sei.
Só tu me soubeste sempre ler. Só tu.
Desculpa se um dia não te soube guardar. Mas vou levar-te para sempre comigo. Sempre. A ti e ao nosso tesouro. Toma conta dele. Protege-o. Ele é a única coisa que deixo para trás. E a única sem o qual não existo.
O amanhã termina em breve. Sinto-o.
Hoje posso responder à pergunta que me fizeste naquela manhã cuja distância se perde na memória.

- Sim, sei. A minha felicidade está ao teu lado.

Sê feliz meu amor.
Teu

by Ella

Sem comentários:

Enviar um comentário