sábado, 12 de janeiro de 2008

Pequenas Pátrias

Photo by Louis

À medida que vamos crescendo e envelhecendo, começamos a reconhecê-las. Todos temos as nossas pequenas pátrias: lugares que sentimos como nossos. Frequentemente, são sítios ligados à nossa infância. Casas que nos viram crescer, terras onde nos aprendemos a orientar, caminhos que nos ensinaram a saber olhar. As bandeiras e hinos destas pequenas pátrias do coração são símbolos, sim, mas afectivos - cheiros, sabores, objectos ou paisagens que um dia, de sopetão, nos remetem para essas memórias que estavam escondidas dentro de nós e nos revelam. (...)
Algumas pequenas pátrias calham-nos em sorte, outras constroem-se, como a vida aliás. Com o tempo, tornam-se regaços, nos quais nos aninhamos felizes (...).
Seremos sempre eternos imigrantes pela vida fora mas o que nos acalenta o coração são na verdade estes bosques das pátrias onde calhámos e que construímos, terras que definitivamente escolhemos porque reconhecemos como nossas. Mesmo que nunca mais aí voltemos senão na nossa imaginação ou melancolia. 

Catarina Portas,
in P2 Público (12/1/08)
Ella

Sem comentários:

Enviar um comentário