quarta-feira, 21 de agosto de 2013

C'est ça qu'c'est bon!


A gaiola dourada,
de Ruben Alves

Enquanto o Louis (aka Pai da Criança) não se chega à frente com um post sobre os muitos filmes de ficção científica que estrearam este Verão, eu decidi apelar ao vosso lado mais populucho e incentivar-vos a ir ver a Gaiola Dourada. Num momento em que tanto se fala de emigração... Em que o primeiro ministro nos acena com um lencinho branco a despedida... Em que vemos os nossos familiares e amigos irem... Parece-me muito apropriado este filme, apesar de a realidade da emigração de outrora ser bem diferente da dos dias de hoje. Se é um filme inolvidável? Não é, mas também não me parece que seja essa a ideia. É um filme bem disposto, onde o cliché e o estereotipo são retratados de forma delicada, com carinho e bom gosto. E isso não é um trabalho fácil. Ás críticas que referiam a falta de profundidade dada ao tema e a lightness geral do filme, apenas tenho a dizer que é exactamente isso que acho que falta ao cinema português. Mais Pai Tirano, menos Branca de Neve. Com todo o respeito há espaço para tudo. Se querem um filme simpático para estas noites de verão... É este.


Sem comentários:

Enviar um comentário