terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Tic-Tac

Para a Kitty, ainda que nunca venha a ler este texto, enquanto o tempo nunca é o certo.

by Annie Leibovits

Tic-Tac.
Por vezes sonho acordada contigo.
Quando cozinho e me puxas o avental para me pedires um qualquer pedacinho de cenoura.
Quando vou pela rua e sinto a tua mão pequenina na minha. Saltitas entre poças de água e falas nesse tom de quem ainda não conhece todos os sons, todas as letras, todas as palavras. E ris. Ris muito.
És tão mais que imaginação.
Depois desperto e percebo que podias ter sido mas não és.
Desperto e percebo que são apenas imagens de uma vida que podia ter sido mas não escolhi.
E tu... Tu serás o filho que ficou por nascer.
Tic-Tac.
Enquanto vou adiando o sonho. Enquanto vou adiando essa vida que vejo passar por mim. Enquanto não sei quando.
Tic-Tac.
Não sei quando.
Tic-Tac.

ella

Sem comentários:

Enviar um comentário