domingo, 22 de outubro de 2006

Les temps sont durs pour les rêveurs.

Eva



Ma petite Amélie, vous n'avez pas des os en verre. Vous pouvez vous cogner à la vraie vie. Si vous laissez passer cette chance, alors avec le temps, c'est votre coeur qui va devenir aussi sec et cassant que mon squelette. Alors, allez-y, nom d'un chien! L'homme de Verre


Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain
J'aime bien ce filme. Um filme feliz, colorido de verde esperança e vermelho paixão. Que nos delicia a cada momento e nos deixa de sorriso nos lábios do princípio ao fim. Filmes assim sabem bem e caiem bem em qualquer altura. Mesmo para aqueles que já o viram algumas vezes, revê-lo é sempre uma surpresa. Há sempre um pormenor que nos escapou, um gesto... Foi isso que fiz esta semana, e enquanto escrevo este post acabo de ver o anúncio que daqui a alguns momentos vai passar na RTP1. Pequenas coincidências. Para os cinéfilos que gostam de bandas de sonoras... esta a cargo do talentoso homem dos 7 instrumentos, Monsieur Yann Tiersen, vale a pena ouvir. Bem francesa, com um toque tradicional mas muito jovial, leve, e feliz. Caso não conheçam a obra deste realizador, Jean-Pierre Jeunet, aconselho vivamente a verem o Delicatessen e La Cité des enfants perdus. Filmes menos alegres mas igualmente surpreendentes e repletos de diversos pormenores inventivos e imaginativos captados à sua maneira. E ao que parece o Senhor vai adaptar para o cinema, A vida de Pi, o best-seller do Yann Martel. Aguardemos espectantes portanto!


Make a Wish!

Ella

Sem comentários:

Enviar um comentário