terça-feira, 9 de julho de 2013

Dos bons momentos



Dizem-me que o melhor trimestre da gravidez já passou, que a partir de agora é uma exponencial de mau estar que culmina em rezas e suplicas para que esta criança saía daqui. A verdade é que, depois dos quatros primeiros meses de dores de estômago constantes, temos sido muito felizes juntos. Apesar de todos os efeitos secundários dispensáveis desfrutamos felizes a companhia um do outro. O dia corre mal, o dia corre bem, nunca estou sozinha. Tenho alguém que me lembra constantemente que tudo é relativo. Sabe bem.
E se um dia o tempo me fizer esquecer tudo o resto, lembrar-me-ei apenas do quão bom era sentir o meu pequeno mini-moi no seu movimento tosco de quem se sente de dia para dia mais apertado. Lembrar-me-ei do sorriso maravilhado do Pai perante este gratificante bailado. Lembrar-me-ei do ar surpreso das avós, das tias e dos amigos com as suas acrobacias nada tímidas. Finalmente percebo porque só se partilham maravilhas sobre a gravidez... Já ninguém se lembra. Na memória só ficam guardados os bons momentos.


6 comentários:

  1. :) vais ser tão boa mãe! já se nota no discurso :D beijinhos enormes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Disso não sei, ainda estou em versão wannabe. Vou precisar de muitos conselhos sábios de boas-mães-mais-que-comprovadas como tu, principalmente no que toca a meninos! ;)
      Beijinhos,
      ella

      Eliminar
    2. Ui, isso é tão relativo! Eu tenho hoje a plena convicção dos meus erros, dos conscientes e dos que são resultado das contingências da vida. Fazemos o melhor que podemos, somos nós que estamos sempre 24/7 a viver os acontecimentos, por isso seremos sempre as melhores mães que os nossos filhos podem ter. É cliché, pois é, mas por alguma razão será. Abro excepção para um único conselho: tudo correrá melhor quanto menos conselhos ouvires :) eles enevoam o livre arbítrio, atordoam o sexto sentido e podem exacerbar a insegurança que inevitavelmente sentirás nos primeiros tempos. Lê, observa, filtra o que definitivamente não queres para ti (para vocês) e prepara-te para fazer escolhas e tomar decisões diariamente. Numas acertarás, noutras nem tanto, mas ajustar-te-ás. E terás a satisfação de poderes dizer que continuas ao leme da tua própria vida. E, a médio prazo, a segurança, a calma interior e a capacidade de ignorar as tolas (há sempre, não duvides!) que teimam em querer meter o bedelho e provar por a+b que fariam bem melhor que tu :)

      Eliminar
    3. Parece-me o melhor conselho! Acredito nas tuas palavras. Cada uma delas. E tenho a sensação que me irei lembrar delas várias vezes! Com toda a certeza. Bjs,ella

      Eliminar
  2. Uma ternura ler estes textos... sempre tao bem acompanhados por uma imagem que diz tudo :) bjs!!!! BB*

    ResponderEliminar