terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Um livro e um filme VIII


Gone Girl
Filme de David Fincher (2014)
Livro de Gillian Flynn (2012)


Gostei muito do filme. Intrigada pelo final alternativo do livro e pelas excelentes críticas que me chegaram aos ouvidos, resolvi pegar no livro. E gostei muito. Tanto ou mais que o filme. Se é melhor que o filme? O que é que interessa, se a literatura e o cinema são linguagens diferentes. O que peço/espero de um livro não é o mesmo que de um filme. Por isso acho que estão bem cada um no seu género. Ou talvez por ter visto o filme antes do livro não seja tão crítica relativamente ao filme. Quanto à história? Uma mulher desaparece e todos os olhares se voltam  para o marido revelando aos poucos as falhas do que parecia ser um casamento perfeito. Esta frase é muito redutora e fica muito aquém da perversidade e complexidade da história, mas tudo o que se possa revelar ou opinar estraga. E aí sim o livro é infinitamente mais intricado, interessante e obscuro. Apesar da singularidade da história leva-nos a reflectir sobre a nossa própria relação. Sobre aquilo que cada um de nós quer do outro e de como isso pode mudar com o tempo, a imagem que temos do outro e aquilo que revelamos. Então e quanto ao final? Para mim não são diferentes. O livro vai mais além, ou descreve no fundo aquilo em que fiquei a pensar. Só tenho pena que tenham eliminado a última frase que é tão aterradora, e teria resultado no cinema de forma brilhante.



Sem comentários:

Enviar um comentário