domingo, 6 de maio de 2012

É assim...

Mãe, 
Tenho pena, 
Esperei sempre que atendesses as palavras que nunca disse, e os gestos que nunca fiz,
Sei hoje que apenas esperei mãe...e esperar não é suficiente.
Pelas palavras que nunca disse, pelos gestos que tanto me pediste, e eu nunca fui capaz de fazer...
Quero pedir-te desculpa mãe, e sei que pedir desculpa não é suficiente...
Às vezes quero dizer-te tantas coisas que não consigo,
A fotografia em que estou ao teu colo, é a fotografia mais bonita que tenho.
Gosto de quando estás feliz,
Lê isto: MÃE AMO-TE!
Eu sei que tu sabes que poderei sempre fingir que não escrevi estas palavras,
Sim mãe, hei-de fingir que nunca escrevi estas palavras, e tu hás-de fingir que não as leste.
Somos assim mãe, mas eu sei, e tu sabes...
 
 
José Luís Peixoto



Li este poema do José Luís Peixoto no Tapas na Língua e achei que era tal e qual assim... Decidi rouba-lo deliberadamente e partilha-lo convosco. Espero que gostem!

ella

Sem comentários:

Enviar um comentário