sexta-feira, 22 de junho de 2007

O passeio de bicicleta


Finalmente consegui convencer o Louis a ir passear de bicicleta com as meninas, e a finalmente, estrear os calções de "ciclista" que comprou o ano passado. Todos prontos à hora marcada, lá arrancámos com o objectivo de chegar à Foz.
Como os caríssimos amigos leitores deste blog sabem, a nossa cidade não tem propriamente hora de ponta, mas digamos que às 18h o número de carros aumenta. E assim sendo, lá iamos os 4 em filinha pirilau (desculpem se firo susceptibilidades mas é uma expressão que adoro) calmamente ultrapassando os obstáculos citadinos até à ciclovia. Ora por obstáculo citadino caldense quer se dizer rotunda. Uma atrás da outra atrás da outra.
Estáva um dia simpático, ameno, o Sol a perder a força e aquele ventinho a saber a Verão. As minhas meninas lindas, felizes, gigantes, e o meu Louis a pedalarem à minha frente. O meu coração a pedalar à minha frente. A felicidade e a paz de um momento divinalmente perfeito, e com isto nasce aquele sorriso de contemplamento...
Momentos senão quando nos aproximamos da próxima rotunda. Um camião aproxima-se mas ainda dá tempo de com um sprintzinho todos entrarmos. Louis quebra as regras decide ir pelo meio da rotunda. Cocas decide seguir o transgressor. Vira rápidamente. Bate com a roda de trás na minha e os momentos que se seguem passam à velocidade da luz. Levanto-me rápidamente. E como uma formiga olho para o camião parado a menos de 2 metros de mim. Levanto a mão e agradeço não sei o quê ao certo, talvez o facto de não ter passado por cima de mim. Vou para o passeio. Alguém da bomba de gasolina me dá uma compressa. Uma senhora pára o carro, fala comigo mas não a ouço. Onde é que estão as miúdas? Onde? Os joelhos tremem. A menina deve ter uma estrelinha a olhar por si! Fiquei com o coração nas mãos a pensar que ficava debaixo do camião! E as miúdas? Onde estão as miúdas? Cotovelo esfolado. Hematomas nas pernas. Uma dor tremenda na anca e no ombro. Bonito serviço, sim senhora. 21 anos a andar de bicicleta sem um único acidente ou quedazita que fosse, nada, até hoje. Bonito. Tenho aqui um spray antiséptico do meu bébé, não quer colocar no cotovelo? Afinal tenho muita sorte, quais são as probabilidades de ter um acidente e encontrar no local uma jovem mãe com este tipo de gadjets? Sim, senhor. Muita sorte. Chegam as meninas e o Louis, sorriem. Tenho mesmo sorte, estive prestes a ir desta para melhor e os amores da minha vida face a este cenário sorriem. Está tudo bem? Achas que ainda podemos continuar? É sorte, muita sorte. Podemos só esperar que as minhas pernas parem de tremer! E vocês fazem o favor de cumprir as regras, é que há regras! A partir de hoje fazem as rotundas à mão! Apesar de sentir o corpo a latejar consegui chegar à Foz e voltar. E a minha bicla com mudanças de 1ª geração está como nova, fora os pequenos bocadinhos de ferrugem que a fazem honrar os seus 11 anos. Devo confessar que tenho uma leve impressão que nos próximos tempos não me vou conseguir levantar do sofá...

Ps. Não tenho apenas uma estrelinha a olhar por mim, tenho uma Cassiopeia inteira!
Pss. Contudo ainda bem que foi comigo, jamais me perdoaria se tivesse sido com uma das minhas meninas!
Ella

Sem comentários:

Enviar um comentário