terça-feira, 22 de maio de 2007


A minha mãe dizia sempre que o melhor era esperar o pior para não sofrer. Lógica complicada, porque o pessimismo afinal. Não nos prepara para a desilusão coisa nenhuma. Coisa nenhuma te treina o sítio onde dói. Só saberás quando te doer. Até lá vais-te todo no desnecessário sofrer da antecipação. Sofrerás pois em duplicado, ou três vezes mais, ou todas as contas que saibas fazer. (...) Não quero esta razão que me nasce do medo, prudência de circunstância, espera o pior para não sofreres. Como se o coração se treinasse para os embates.

Mulher em Branco,
Rodrigo Guedes de Carvalho
Photo by Elliot Erwitt

Sem comentários:

Enviar um comentário